top of page

Não, a culpa não é sua!




Você já sentiu culpa? Claro que sim, ainda mais se você for mãe (pelo menos foi o que aconteceu comigo).

Parece que existe uma cultura de que sentir culpa é 'normal'.

Já reparou como as pessoas, de maneira geral, sentem-se tristes, frustradas, culpadas por situações que não têm relação com elas?


Ter problema é uma maneira natural de chamar atenção.

Reclamar parece ser um discurso diário inerente a nossa rotina.

Falar de problemas e tragédias também parece ser rotineiro.


Então como não sentir culpa? Como não se sentir triste? Cansada? 

Essas situações tiram mesmo a nossa energia.

Confesso que me observo para não cair nessa 'normalidade'. Cuido do que falo, da forma como me expresso e do que penso também.

Porém, às vezes, sou pega de surpresa e a famosa culpa me ataca.


Sabe aquele dia em que se chove a culpa é sua, mas se tem sol também é sua culpa? 

Aquele dia em que você se culpa por não ser uma boa mãe. Por ter sido chamada na escola. Ou sente culpa por não ser uma boa profissional já que o possível cliente não fechou o negócio. Ou, pior ainda, se sente culpada pela guerra na Ucrânia?

Pois é, eu imagino que você tenha passado por dias assim.

Eu já passei e, inclusive, passei por isso há pouco tempo. 

Tudo era culpa minha, até o aquecimento global era minha culpa.

E como eu consegui excluir esse sentimento ruim de mim e terminar minha semana mais leve?


Aí vem atividade prática :-)

  • Pega papel e lápis. 

  • Leia com atenção.

  • Pratique também quando acontecer com você:

 

Pronta? Aqui vão as ações para você experimentar.


1 – Respire

Parece óbvio, eu sei. Já que se você não respirar você não vive. Mas quero que você respire com intenção

Vá para um lugar calmo, sente com a coluna ereta e com os pés bem apoiados no chão e respire devagar prestando atenção no ar entrando e saindo do seu corpo.

Você também pode praticar meditação, fazer alguns movimentos de yoga e usar óleos essenciais. Tudo para se acalmar.

 

2 – Movimente-se

Alongue-se, faça uma caminhada ou uma corrida leve e vá sentindo o controle das suas emoções voltarem para a sua mente. Comece de forma leve até se sentir muito bem-disposta, ativa e resolvida.

 

3 – Escreva

Escreva sobre o que estava sentindo de coração aberto, sem pensar muito.

Liste tudo que vier à sua mente. 

Faça duas listas: uma com o que você pode controlar e outra com o que você não pode controlar.

Leia, analise tudo o que está no papel e você vai ver que estará se sentindo mais calma e disposta para encarar as situações.

 

4 – Aja

Escolha uma das situações que você colocou no papel (das que você pode controlar) e comece a agir para resolver.

Seguindo esses passos, você vai resolver seus conflitos e acabar com a sua culpa de forma mais rápida e inteligente.

Você se preparou para isso. Deixou a emoção negativa de lado e focou na solução.


Uma dica extra! 

Se você não chegou a esse ponto desesperador da culpa, não espere chegar lá para usar essas práticas que acabei de compartilhar. 

Comece a usar para resolver qualquer um dos seus “problemas” diários ou quando começar a sentir aquele cansaço leve. 


  • Respire. 

  • Mexa-se. 

  • Escreva.

  • Comece a agir no seu ritmo. 


Faça o movimento para sair ou melhorar a sua situação e, se precisar de mais uma ajudinha, conte comigo.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page